Arquivo da categoria: Café Brasil

Sucesso

Papparazzi_1.gifO programa trata do SUCESSO, abrindo com uma reflexão de Voltaire: “Para ter sucesso neste mundo não basta ser estúpido, é preciso também ter boas maneiras”.
Bin Laden é um profissional bem sucedido? As bombas atômicas em Hiroxima e Nagasaki foram um sucesso? Hitler foi um sucesso? O gol com a mão do Maradona na Copa do Mundo foi um sucesso? Fernandinho Beira Mar é um sucesso ? É possível definir sucesso como a capacidade de levar a cabo com eficiência as ações a que você se propõe? Ou sucesso terá um significado mais profundo? A discussão sobre sucesso e fama, combinados com um comportamento ético, dá a tônica do programa, que apresenta um manifesto de Guilherme Arantes sobre a questão de “estar” ou “não estar” na mídia e o significado do sucesso para o artista. Uma música de Luiz Tatit (Felicidade) incorporada ao programa é imperdível! A trilha apresenta músicas de Sá, Rodrix e Guarabyra, Tonico e Tinoco, Guilherme Arantes com Paulo Leminski e a banda recifense Afonjah… é mole? Só no Café Brasil, não é mesmo? Com produção e apresentação de Luciano Pires.

O Livro

leitura_1.jpgDesta vez o Café Brasil trata de livros. E fundamenta-se nso escritos de Henry Thoreau: “Somos subeducados, atrasados e analfabetos; e neste particular confesso que não faço grande distinção entre a ignorância do meu concidadão que não sabe absolutamente ler nada, e a ignorância do que apenas aprendeu a ler o que se destina a crianças e inteligências medíocres. Deveríamos estar à altura dos grandes da Antiguidade, mas em parte por saber primordialmente quão grandes eles foram. Somos uma raça de homens-passarinhos; nos nossos vôos intelectuais mal nos alçamos um pouco acima das colunas do jornal.
Nem todos os livros são tão insípidos como os seus leitores. É provável que haja palavras endereçadas exatamente à nossa condição, as quais, se de fato pudéssemos ouvi-las e entendê-las, seriam mais salutares às nossas vidas que a própria manhã ou a Primavera, revelando-nos talvez uma face inédita das coisas.
Quantos homens não inauguraram uma nova etapa na vida a partir da leitura de um livro!”
O programa é embalado com músicas de Chico Buarque, Lenine, Sergio Vid, Victor Biglione, Zeca Baleiro, Zé Renato, Jacques Morelembaum, Zezé Gonzaga, Fátima Guedes…e Paulinho Moska!

Saudade Dói

branca_site_1.jpgUm programa dedicado à saudade, que abre com uma frase deliciosa de Mário Quintana: Para sempre é muito tempo. O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo…
Produzido e apresentado por Luciano Pires, o programa tem textos, poesias e músicas de Rubem Alves, Neusa Cardoso, Amacio Mazzaropi com Elpídio dos Santos, Miguel Falabella, Beto Caletti e o Trio Melero, Miguéz e Iovino e… Marlene Dietrich… Você vai se surpreender, emocionar e refletir sobre questões que são esquecidas em nosso dia a dia.

Mídia e Baixaria

midia_e_baixaria_1.jpgAbrindo com uma frase ótima de Edith Wharton “Existem duas formas de espalhar a luz: ser a vela ou ser o espelho que reflete a vela”, o programa desta semana discute a velha questão sobre “o povo gosta de baixaria. Por isso as emissoras de televisão e rádio programam a baixaria”. Será que isso é verdade? Qual o papel da mídia nesse processo? E que prejuízos para a imagem do Brasil essa mesma mídia está causando, ao optar pela baixaria? Com trilha sonora composta de alguns clássicos de Sá, Rodrix e Guarabyra, o programa traz também uma poesia deliciosa do grande educador Paulo Freire. Cultura, música, poesia, humor, reflexão. Bem vindo ao Café Brasil. Produzido e apresentado por Luciano Pires.