Arquivo da categoria: Café Brasil

Definição de Gaucho

gaucho.jpgNeste programa vamos tentar uma proeza: definir o gaúcho. Para isso, fomos buscar ajuda com autotres gaúchos. Um texto de Nilo Bairros Brum sobre as circunstâncias da aplicação da palavra “gaúcho” faz uma avaliação, digamos, científica. Em seguida, Walmir Ayala, escritor e poeta gaúcho nos relata numa lenda deliciosa como teria surgido o primeiro gaúcho. E para fechar, uma poesia de Antonio Augusto Fagundes discute se a modernidade matou o gaúcho ou não. E aida temos umas coisinhas de Mário Quintana… A trilha sonora é uma delícia, como os Almôndegas, Renato Borgetti com Sergio Napp e Mario Barbará, Gilberto Monteiro, Elis Regina, Quarteto Quitandinha com Lupiscínio Rodrigues, Pery Souza com Eduardo Martins e Faria Correa…Se você é gaúcho, vai se emocionar. E se não é, vai curtir um pouco de uma das mais ricas culturas que compõem o Brasil. Produção e apresentação de Luciano Pires.

A Gota

gota.jpgO programa de hoje começa com Rubem Alves e seu delicioso texto O Palhaço. Depois uma história real, que trata das dificuldades que as grandes corporações e seus processos globais têm de resolver os pequenos problemas. Se antigamente era só mandar consertar, hoje temos que fazer um chamado para o departamento (in)competente, esperar o comitê decidir, aguardar a chegada do terceirizado e esperar…esperar…esperar…. tudo em nome dos “processos globais” que estão acabando com a capacidade de execução de todos nós. E aproveitando o embalo, falamos também dos empreendimentos que crescem até tornarem-se inadministráveis. Além disso, temos Cecília Meireles e Maristela Moura. E uma trilha sonora deliciosa com Luhli que faz uma interpretação emocionada de “Fala”, composição sua que foi sucesso com os Secos e Molhados nos anos setenta. E até o Rei: Roberto Carlos dá uma passadinha pelo programa… Café Brasil.
Com produção e apresentação de Luciano Pires.

O Cheirinho

cheirinho.jpgO programa de hoje começa com uma reflexão de José Roberto Whitaker Penteado, chamada RABO PRESO, onde ele fala dos escândalos pelos quais o Brasil passa e da dificuldade de encontrar alguém que não tenha conflitos de interesses. Depois falamos da capacidade que certos cheiros têm de nos trazer lembranças. E perguntamos: pra você, qual é o cheiro do Brasil? E também falamos do Brasil esculachado no trato de suas memórias culturais. Na trilha - Milton Nascimento, Wagner Tiso, Chico Buarque, o balanço irresistível de Elza Soares com Wilson das Neves… e Sá e Guarabyra.

Gente Nutritiva

amizade.jpg“Li uma reportagem sobre a importância das amizades. Dizia-se que um indivíduo clonado seria completamente diferente de seu original, dependendo das amizades com as quais compartilhasse. Não tenho dúvidas que isso é verdade. E fico preocupado quando penso que as amizades que privamos, pelo menos enquanto somos jovens e estamos formando nosso caráter, surgem pelo acaso, seguindo um processo de seleção imaturo e pouco ligado nas conseqüências futuras dessas amizades”.
O programa Café Brasil de hoje trata de amizades e de pessoas “nutritivas”, aquele tipo de gente perto da qual todos gostamos de estar, sabe como é? E o programa começa filosofando com um provérbio japonês: Quando o caráter de uma pessoa não estiver claro para você, dê uma olhada nos amigos dela…
Neste programa temos a companhia de Sérgio Sá, Bartô Galeno, Ivan Lins e Victor Martins, Rubem Alves, Beto Guedes e Fernando Brandt. Sabe onde você encontra um time assim? No seu Café Brasil.

O Bitelo

bitelo.jpgO programa de hoje abre com Álvaro de Campos, uma das várias personalidades do grande poeta português Fernando Pessoa. O poema chama-se ÁS VEZES:
Às vezes tenho idéias felizes
Idéias subitamente felizes, em idéias
E nas palavras em que naturalmente se despegam
Depois de escrever, leio / Por que escrevi isto? / Onde fui buscar isto?
De onde veio isto? Isto é melhor do que eu…
Seremos nós neste mundo apenas canetas com tinta
Com que alguém escreve a valer o que nós aqui traçamos?
No programa, tratamos daquelas velhas e cansadas reuniões, quando a critividade desaparece e reina a hipocrisia e o controle. Tratamos também daqueles malditos e-mails que prometem crescer o pênis… E a trilha sonora é cômica! No programa, textos e músicas dos Titãs, Jorge Luis Borges, Adamastor Pitaco, Ari Toledo, Alvarenga e Ranchinho, Genival Lacerda, Fernando Pessoa como Álvaro de Campos, Rubem Alves… Eu eu me diverti um bocado!

Meu Cafezinho tem Gostinho de Saudade

viola_caipira_1.jpgO programa da semana fala das raízes da gente. Fala de caipiras e de lembranças de infância. E de quebra ainda conta um pouco da história de João Pacífico um de nossos maiores compositores sertanejos. O programa podia muito bem começar com os versos de Zé Geraldo em “Senhorita”: ” Aqui é pequeno mas dá pra nós dois, e se for preciso a gente aumenta depois. Tem um violão que é p’ras noites de lua, tem uma varanda que é minha e que é sua”.
Na trilha, Elis Regina. Renato Teixeira. Francisco Alves. João Pacífico. Cascatinha e Inhana. Viola Quebrada. Raul Torres… Com 25 minutos de duração, o Programa Café Brasil tem produção e apresentação de Luciano Pires.

Vozes do Brasil

restshure55_1.jpgO programa desta semana trata da importância da comunicação em nosso dia a dia, imaginando como seria interessante se todos os profissionais tivessem um pouco de jornalista em suas atitudes. Também traz uma receita, a “Teoria dos 4 Rês”: RELEVÂNCIA, RESPONSABILIDADE, RESERVA e RESSONÂNCIA para que nos protejamos ao receber as informações trazidas pela mídia. Na segunda parte do programa, uma viagem às vozes famosas que fizeram a história do rádio no Brasil. Com Vicente Celestino, Odair Batista, Osmar Santos, Lauro Borges e Joaquim Silvério de Castro Barbosa com sua PRK-309… e uma novela dos anos 40. Se você tem mais de 40 anos, vai se emocionar com algumas lembranças. Se tem menos de 40, vai perceber como eram geniais os profissionais que 30, 40, 60 anos atrás faziam o rádio no Brasil. Com produção e apresentação de Luciano Pires.

Sucesso

Papparazzi_1.gifO programa trata do SUCESSO, abrindo com uma reflexão de Voltaire: “Para ter sucesso neste mundo não basta ser estúpido, é preciso também ter boas maneiras”.
Bin Laden é um profissional bem sucedido? As bombas atômicas em Hiroxima e Nagasaki foram um sucesso? Hitler foi um sucesso? O gol com a mão do Maradona na Copa do Mundo foi um sucesso? Fernandinho Beira Mar é um sucesso ? É possível definir sucesso como a capacidade de levar a cabo com eficiência as ações a que você se propõe? Ou sucesso terá um significado mais profundo? A discussão sobre sucesso e fama, combinados com um comportamento ético, dá a tônica do programa, que apresenta um manifesto de Guilherme Arantes sobre a questão de “estar” ou “não estar” na mídia e o significado do sucesso para o artista. Uma música de Luiz Tatit (Felicidade) incorporada ao programa é imperdível! A trilha apresenta músicas de Sá, Rodrix e Guarabyra, Tonico e Tinoco, Guilherme Arantes com Paulo Leminski e a banda recifense Afonjah… é mole? Só no Café Brasil, não é mesmo? Com produção e apresentação de Luciano Pires.

O Livro

leitura_1.jpgDesta vez o Café Brasil trata de livros. E fundamenta-se nso escritos de Henry Thoreau: “Somos subeducados, atrasados e analfabetos; e neste particular confesso que não faço grande distinção entre a ignorância do meu concidadão que não sabe absolutamente ler nada, e a ignorância do que apenas aprendeu a ler o que se destina a crianças e inteligências medíocres. Deveríamos estar à altura dos grandes da Antiguidade, mas em parte por saber primordialmente quão grandes eles foram. Somos uma raça de homens-passarinhos; nos nossos vôos intelectuais mal nos alçamos um pouco acima das colunas do jornal.
Nem todos os livros são tão insípidos como os seus leitores. É provável que haja palavras endereçadas exatamente à nossa condição, as quais, se de fato pudéssemos ouvi-las e entendê-las, seriam mais salutares às nossas vidas que a própria manhã ou a Primavera, revelando-nos talvez uma face inédita das coisas.
Quantos homens não inauguraram uma nova etapa na vida a partir da leitura de um livro!”
O programa é embalado com músicas de Chico Buarque, Lenine, Sergio Vid, Victor Biglione, Zeca Baleiro, Zé Renato, Jacques Morelembaum, Zezé Gonzaga, Fátima Guedes…e Paulinho Moska!

Saudade Dói

branca_site_1.jpgUm programa dedicado à saudade, que abre com uma frase deliciosa de Mário Quintana: Para sempre é muito tempo. O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo…
Produzido e apresentado por Luciano Pires, o programa tem textos, poesias e músicas de Rubem Alves, Neusa Cardoso, Amacio Mazzaropi com Elpídio dos Santos, Miguel Falabella, Beto Caletti e o Trio Melero, Miguéz e Iovino e… Marlene Dietrich… Você vai se surpreender, emocionar e refletir sobre questões que são esquecidas em nosso dia a dia.