Todos os post de PodCasting Brasil

O time da Rip Curl dá um giro pelo Nort Shore.

172a.jpgO primeiro swel de inverno, no Havaí, foi um tanto indiferente, mas os atletas da Rip Curl exploraram tudo o que o Nort Shore tinha a oferecer. Acompanhe Fanning, Pancho, Brady Kekoa, Wilko, Ramey e KP entre outros.

Imagens: Rip Curl

Surfistas da Rip Curl testam suas novas wetsuits no Circulo Polar Ártico.

168a.jpgRecentemente a Rip Curl lançou a primeira roupa de borracha com aquecedores, a H-Bomb. Para realizar um test-drive em condições congelantes, os surfistas Adam Wickwire (EUA) e Elise Garrigue (Havaí) foram até as profundezas do Circulo Polar Ártico.
A dupla, que andou através da neve e remou ao lado de icebergs, encontrou condições memoráveis e ondas intocadas.
Quanto ao frio, apos a session, Adam e Elise estavam até com um pouco de calor…

Imagens: Rip Curl

Pipe Masters – Pré Evento

pipe_masters.jpgO Rip Curl Pro Pipeline Masters é o climax do calendário do surf profissional. Os melhores surfistas do circuito mundial, no pico mais famoso do surf, o Banzai de Pipeline.

O Evento masculino é também considerado como a jóia do Vans Triple Crown, que acontece no Havaí, dando ao Pipe Masters o titulo de evento mais importante do circuito.

Imagens: Rip Curl
Trilha: Call-TO-Arms

Festival Tropical Brasil de Surf Universitário 2006

3etapa_univ_br.jpgConfira o vídeo do Festival Tropical Brasil de Surf Universitário 2006 que aconteceu na Praia Mole, em Florianópolis. Válida pela terceira etapa a competição definiu as equipes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, que participarão da etapa final junto com outras equipes do Nordeste e Sudeste do país em Maresias (SP) entre os dias 13 e 17 de dezembro.
Quem levou a melhor na Open foi o catarinense Bruno Cardoso, da universidade Cesusc, que surfou com muito estilo para achar a vitória numa final bastante disputada.
Imagens e edição: Ariel Schvartzman
Trilha Sonora: Bruno Scalzo

José Vitor Oliva – Prêmio Caboré 2006

victor_oliva.jpgDurante anos, o sucesso de casas como o Banana Café, Resumo da Ópera e os restaurantes Mezzaluna e Manhattan, sem falar do incomparável Gallery, tinha nome e sobrenome: José Victor Oliva. Pois, o empresário da noite há dezoito anos decidiu apostar em outros segmentos. E o sucesso também não tardou a acontecer. O Banco de Eventos, por exemplo, é conhecido pela ousadia e criatividade de seus projetos de marketing promocional. Para isso, basta lembrar a festa realizada no único porta-aviões brasileiro para as sandálias Rider. Em entrevista a Deborah Izola, José Victor Oliva fala da atuação das outras empresas da holding Clube (Rio 360º, Samba e Bigger), além de comentar a conquista do Prêmio Caboré pela pioneira Banco de Eventos.

Jader Rossetto – Prêmio Caboré 2006

jader_rossetto.jpgHá 14 anos atuando no mercado publicitário de São Paulo, o gaúcho Jader Rosseto é um dos mais premiados criativos brasileiros, aqui no país e lá fora. Só de Leões em Cannes, ele conquistou 22. Além de colecionar premiações em importantes festivais como o de Nova York, o Clio, o Communication Arts e o Fiap. Rosseto, desde agosto de 2004 vice-presidente de criação da Fischer América, concorre agora ao Prêmio Caboré, na categoria “Profissional de Criação”. O publicitário, que atuou na DM9DDb durante nove anos e foi sócio da Toró Propaganda, fala sobre sua trajetória profissional e a indicação ao Caboré na entrevista a Deborah Izola.

Massacre Cultural

massacre.jpgNo programa de hoje utilizamos um texto de Mauro Dias, que é crítico de música. Mauro publicou em 1999 no Caderno 2 do jornal O Estado de São Paulo um texto-desabafo onde discute a situação da música popular brasileira. O texto de 1999 é tristemente atual: “A música brasileira entrou, nos anos 90, num impressionante processo de decadência. Errado. A música brasileira continua, nos anos 90, boa como sempre. Há grandes compositores, cantores, instrumentistas. Mas não é possível dizer que estejam em atuação. Tentam atuar. Não têm onde. Tentam viver da arte - tolice. São dentistas, fiscais do INSS, professores, motoristas de táxi, balconistas, colunistas de jornais - essas atividades garantem a sobrevivência.(…) A música brasileira que toca nos rádios, na televisão, nos grandes palcos, nos estádios, nas festas de São João, no carnaval, nas convenções de criadores de gado é que está em decadência. E só ela que aparece. A outra música, a boa, existe, mas não aparece”.
O programa tem textos e músicas de Hermann Hesse, Lula Queiroga e Pedro Luis, Lucas Santtana, Marcio Faraco com Chico Buarque e Rafael Iasi. Música popular brasileira da melhor qualidade, mas que você não conhece. Produção e apresentação de Luciano Pires.

Espetáculo “Dúvida” – Cultura

dan_stulbach.jpgA incerteza e a intolerância pontuam o texto de “Dúvida”, do dramaturgo norte-americano John Patrick Shanley. A história, que marca a estréia do autor em palcos brasileiros, tem como fio condutor o suposto assédio do único menino negro de uma escola católica, na Nova York dos anos 60. A montagem brasileira recebe a direção de Bruno Barreto, que debuta no Teatro, e tem um elenco afinado integrado por Regina Braga, Dan Stulbach, Lena Roque e Isabel Teixeira. A peça, em cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca, é o tema do bate-papo de Deborah Izola com as atrizes Regina Braga e Isabel Teixeira e o ator Dan Stulbach.

João Rodarte – Prêmio Caboré 2006

joao_rodarte.jpgCriada em 1987, a CDN – Companhia de Notícias surgiu na condição de assessoria de imprensa.
De lá pra cá, a empresa apostou na ampliação de seu leque de serviços e na oferta de soluções, que abrangessem outras necessidades de comunicação e relacionamento de seus clientes. No final dos anos 90, a agência expandiu suas fronteiras ao implementar escritórios regionais e uma rede parceiros em todo o país e no exterior. E assim, a CDN tornou-se uma das mais completas e bem-sucedidas agências de comunicação do país. Para falar da trajetória da companhia, a PodCasting Brasil entrevista João Rodarte, presidente da agência que foi indicada ao Prêmio Caboré 2006, na categoria “Serviço Especializado”.

Ampliação de consciência e espiritualidade

vera_helena.jpgNa segunda etapa da série “Seres Humanos de Negócios”, o psicológo e consultor de empresas José Ernesto Bologna abre espaço para entrevistas que trazem a contribuição das Ciências Humanas ao mundo corporativo. No 24º programa da série, Bologna conversa com a Dra. Vera Helena Camará de Azevedo e Souza, que aborda questões convergentes sob o ponto de vista da religiosidade e da Psicologia. Entre outros pontos, a psicóloga e psicoterapeuta fala sobre a internalização da consciência, o uso do tempo e a quebra de um paradigma: de que a espiritualidade seja desligada de uma realidade objetiva e prática.